terça-feira, 21 de outubro de 2008

Indústria das Multas

Depois de quatro dias sem postar nada aqui resolvi falar a respeito de um assunto que, certamente, atinge um número vasto de pessoas em São Paulo: a Indústria das Multas!

Bom, vou descrever um fato que aconteceu comigo recentemente e que me revoltou. Tá bom, não precisa de muito pra me revoltar, mas, dessa vez é sério.

Chega uma multa na minha casa falando que eu fui autuado por passar no farol vermelho na avenida Radial Leste, às 9:21h da manhã, numa quinta-feira. De prontidão, fiquei supreso, pois faz tempo que eu não transito por aqueles lados.

Po, quinta-feira? É meu rodízio!!!! Nesses dias, ou eu entro as 11h (saio as 10:30 de casa), ou chego no trabalho às 7h. Moro na Vila Mascote e trabalho na Faria Lima. A multa não é minha, claro! A multa não foi de radar, não tinha foto. Ou seja, um marronzinho que me multou. Mas se me multou, no horário do rodízio, porque não me aplicou uma multa de rodízio também? Porque ele foi bonzinho comigo? Hum, acho que não hein!

Peguei uma carta aqui no trabalho, com papel timbrado, carimbo do chefe e todo blá blá blá necessário, mais uns documentos, para provar que no momento da infração, eu tava dentro do escritório. Mandei uma carta ao Detran, explicando a situação. Pra resumir: o resultado do "julgamento" do recurso foi: indeferido! Coloquei entre aspas porque não se trata bem de um julgamento. Você não acompanha, não tem direito de argumentar. Então, não é julgamento. Tenho minhas dúvidas se realmente eles julgam isso. Vão lá e aplicam multas deliberadamente. Sabem porque? Porque a maioria das pessoas não têm saco pra correr atrás de recurso, de provar, etc. Acabam pagando! E enchendo os cofres do orgãos municipais e estaduais de trânsito. Que por sua vez não aplicam o dinheiro em melhoria do asfalto. A não ser em época de eleição!

Posso recorrer. Mas, para isso, tenho que pagar! E, se eu ganhar, o que eu duvido, pois é julgado à revelia, eu tenho que esperar 45 dias para ir lá na Secretaria do Tesouro buscar o valor da multa. Claro que ninguém vai pagar meu estacionamento, meu metrô ou o que quer que seja. Nem depositar na minha conta! Ou seja, de alguma forma, eu saio perdendo. Se não paga a multa. Não licencia o carro. Se não licencia, pode ter o veiculo apreendido. Pra tirar, mais multa. E assim vai.

Agora pensem: quantas pessoas passam por isso? Imaginem só quanto eles não arrecadam. Isso deveria mudar. Vão falar: ah, é impossível julgar caso por caso com a presença dos motoristas! Não interessa, virem-se! O que não é possível é pessoas receberem multas e serem obrigados a pagar, sendo que não cometeram infração alguma! Até quando essa indústria vai reinar e prosperar?

Bico no DSV, na CET e no Detran!

3 comentários:

Marcelo disse...

CET falida, marronzinhos mal treinados, placas clonadas, carnaval de multas...tá tudo errado no trânsito de SP!

Daniel Crenitte disse...

concordo plenamente!

Luís Pereira disse...

Curiosa contradição: se com as multas eles estão enchendo os cofres dos órgãos municipais e estaduais de trânsito, porque é que a CET está falida? Para onde vai esse dinheiro?

Catzo ... Hijos de la putana!!!!